Notícias

Google decide omitir o “www” e “https” das URLs no Chrome

Imagem de: Google decide omitir o “www” e “https” das URLs no Chrome

Você chegou a perceber alguma mudança na barra de endereços no Chrome? Ela se deve a uma atualização da Google pensada em facilitar a vida de quem usa o navegador em que a necessidade de incluir os prefixos “www”, “https” e “m” – para sites mobile – foi eliminada. A ideia por trás da novidade é a de tornar o browser mais simples e fácil de usar e já entrou em ação no Chrome 76 para desktop e celular. No entanto, nem todo mundo aprovou a iniciativa.

Decisão polêmica

De acordo com Catherine Ellis, do site Tech Radar, com a atualização, a barra de endereços passa a mostrar apenas o que a pessoa digitar, mas existem temores de que a omissão possa gerar problemas de segurança. Isso porque, desde a mudança, para saber se um site usa o protocolo “https” – de Hyper Text Transfer Protocol Secure ou Protocolo de Transferência de Hipertexto Seguro, que, como você deve saber, oferece uma camada de segurança extra na conexão entre o navegador e o site –, é necessário clicar sobre a URL 2 vezes no desktop e 1 vez no celular. Porém, sejamos honestos, a maioria das pessoas não se dará ao trabalho, né?

 
(Fonte: Amethyst Website Design / Reprodução)

Além disso, muitos desenvolvedores também reclamaram da atualização, alegando que, ademais das questões de segurança, é prática comum entre esses profissionais criar mais de um domínio ou versões “a” e “b” de um mesmo site para realização de testes, por exemplo. Na realidade, segundo Catherine, esta não é a primeira vez que a Google tenta trazer essa atualização, e nas vezes anteriores foi alvo de críticas que a forçaram voltar atrás com a decisão.

Contudo, tudo indica que desta vez a mudança é permanente e a omissão do que a Google chamou de “distrações dos domínios registrados e componentes irrelevantes para a maioria dos usuários” deve seguir em vigor. De qualquer maneira, na última atualização, o Chrome passou a alertar os usuários no caso de que eles visitem um site que não use o protocolo “https”, mas, ainda assim, a decisão deve gerar bastante descontentamento e polêmica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *